Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Telmixa

Mix de leituras, organização, tv, filmes, tecnologia e de mim, claro!

Telmixa

Mix de leituras, organização, tv, filmes, tecnologia e de mim, claro!

The Handmaid's Tale / A história de uma serva, de Margaret Atwood

The Handmaid's Tale / A história de uma serva

Estive a ver um hangout sobre este livro e, grande parte do tempo em que ouvia uma das intervenientes a falar do livro, pensava: "Não, leste tudo ao contrário! Como é que é possível alguma mulher não gostar deste livro? Ultrapassado?! Nem pensar!" E de tanto pensar isto lembrei-me que ainda não tinha escrito sobre o mesmo. Acho que, por ter feito um SLNB sobre o livro, onde falei tanto sobre ele, me meteu de ressaca até agora. Contudo, ouvir alguém expressar uma opinião tão diferente da minha fez o meu sangue ferver e por isso aqui fica a minha opinião.
A Margaret Atwood revelou ser uma escritora excepcional, apresentando no "A História de uma Serva" a possibilidade arrepiante de, o mundo como o conhecemos mudar radicalmente amanhã, ser substituído por uma sociedade teocrática e despir as suas mulheres das suas identidades e direitos.
Offred é a personagem que nos guia através dos eventos. Vivemos toda a história presente e passada através dela. Ela é uma serva: como mulher fértil mas com um passado considerado "imoral", foi entregue a uma família com a finalidade de procriar e fornecer-lhes uma criança. Como é uma sociedade afectada por problemas ambientais, as crianças são o seu bem mais precioso, pois são poucas as que nascem sem problemas ou sobrevivem à gestação.
Este não é um livro para entreter ou ser agradável. Não nos dá uma conclusão moral no fim, não é essa a sua finalidade. Este é um livro para nos fazer pensar: Quem somos como sociedade, o papel do homem, da mulher, da família. O poder da religião nas nossas vidas. A falta de união entre as mulheres. Quem é realmente o sexo fraco?
Agora, enquanto ouvia a opinião de alguém que não gostou do livro dizer "Oh, isto seria impossível de acontecer nos dias de hoje" percebi o papel das "Tias" neste livro. Haverá sempre alguém que vai experienciar a realidade de outra forma, e agir de outra forma. Os nossos valores moldam-nos e temos tendência a lutar por aquilo que acreditamos. Se acreditarmos na ilusão que vivemos numa sociedade livre e segura, negamos a possibilidade de vir a perder a nossa liberdade e segurança. E não lutaremos por eles quando for necessário. Não devemos viver com medo mas é nosso dever vivermos alertas para o que nos rodeia. Este é um livro escrito em 1985 mas que ainda hoje é um verdadeiro alerta: há fragilidade nas nossas instituições, há desunião no nosso sexo (feminino), há imoralidade e há fanatismo religioso. Há a possibilidade de sermos Offreds. Basta olhar para o mundo como ele é hoje e rapidamente percebemos que o mundo está cheio delas.

 

Nomes dos personagens: Offred, Martha, Wife, Serena Joy, Ofglen, Nick, The Commander
Nomes dos lugares: Republic of Gilead
Conteúdo sexual: Pouco descritivo, incómodo.
Violência física: Alguma.
Violência psicológica: Sim, bastante.
Mensagem: Política, religiosa, social.
Pontos positivos: A voz de Offred e as suas reflexões.
Pontos negativos: Não gostei da cena de castigo em praça pública.
Fez-me reflectir sobre: Os direitos da mulher e o quanto isso afecta toda a sociedade.

Autor: Margaret Atwood
Editora: Random House
Estante: Distopia
Leitura temática: Leitura Conjunta para o SLNB
Período de leitura: de 16 de Setembro a 1 de Outubro de 2013
Formato: Ebook
Língua: Inglês
Classificação: 5 estrelas - Adorei-o! É muito bom.

 

The Native Star

Lido no Kindle
Lido em Inglês

Resumo: Emily Edwards é uma bruxa na pequena cidade de Lost Pine, numa California do séc. XIX. O negócio anda a correr mal graças à concorrência desleal de uma empresa de feitiços por encomenda e Emily e o seu pai estão a passar dificuldades financeiras. Por isso mesmo ela toma a decisão de lançar um feitiço de amor ao lenhador mais rico de Lost Pine que acaba por correr muito muito mal. Numa noite ela consegue provocar uma cena de ciúmes ao lenhador, lançar suspeitas que anda envolvida com o impertinente mago Nova Iorquino Dreadnought Stanton, colocar a população de Lost Pine contra ambos e ficar com uma pedra azul presa à mão direita. Ainda por cima esta pedra tem a propriedade de absorver magia e torna-se vital para Emily retira-la e salvar a mão.
A única pessoa que é capaz de ajudá-la é mesmo o impossível Dreadnought e ambos partem numa viagem mirabolante, cheia de aventuras e perigos escondidos, de vilões disfarçados e de muita magia, até chegarem a Nova Iorque. Pelo caminho Emily e Dreadnought enamoram-se um pelo outro mas a condição física dele e a falta de posição social dela impedem-nos de acreditar que podem ficar juntos.

Expectativa: Pouca ou nenhuma. Apaixonei-me pela capa e pela promessa que seria um livro de cowboys e steampunk. Apesar de não ser bem o que esperava foi uma leitura muito agradável.

Opinião: Este livro tem muito pouco ou quase nada de steampunk e MUITO de magia. Confesso que não sou grande apreciadora e quando comecei a perceber, logo no primeiro capítulo, que era um livro sobre/com magia, torci o nariz, parei a leitura e só a retomei quando comprei o Kindle. Com o avançar da história fui percebendo que a magia neste universo era abordada de uma forma muito científica e racional e foi isso que me manteve cativada. As explicações de Dreadnought a Emily sobre os vários tipos de práticas de magia fazem compreender melhor este universo e nunca foram aborrecidas.
Emily e Dreadnought partem numa viagem cheia de aventuras, o enredo é interessante e original, muito diferente de tudo aquilo que li até agora. A sensação de faroeste está constantemente presente, com cavalos, pistolas, vestidos com corpetes, índios, comboios... muito bom! O Steampunk surge na segunda metade do livro para a frente mas de forma tão subtil que quem não conhece a estética nem se apercebe da sua presença.
Muito aquém da expectativa (ou até mesmo desnecessário) é o romance entre Emily e Dreadnought. Das duas uma: se a escritora planeava em escrever apenas um livro, podia ter construído o romance desde início ou, se planeava uma série (que é o caso), então não teria terminado como o fez. Achei tudo muito forçado, rápido e seco demais. Passam o tempo a tratarem-se como amigos, sem um vislumbre de desejo em frase nenhuma e, de repente, a Emily está a numa choradeira porque tem o coração partido. É tão insípido que desejei que nunca tivesse acontecido. Se vão escrever um romance mau então não o escrevam! Ficavam amigos durante uns livrinhos e o desejo surgia, depois o romance... seria bem mais empolgante de ler.

Pontos Positivos: O universo criado, a história que envolve a pedra da mão da Emily é muito boa, o conceito de magia que a torna real e credível.

Pontos Negativos: O romance. Aqueles vilões no final que não entendi muito bem. O facto do primeiro capítulo ter ficado "pendurado" até ao final da história.

Estado de Espírito: Bom, foi o primeiro livrinho lido no meu Kindle.

Fez-me reflectir sobre: A importância do ser humano em viver em harmonia com o planeta que habita.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2005
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D