Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Telmixa

Mix de leituras, organização, tv, filmes, tecnologia e de mim, claro!

Telmixa

Mix de leituras, organização, tv, filmes, tecnologia e de mim, claro!

Dreamfever, de Karen Marie Moning

Dreamfever

Autor // Karen Marie Moning

Série // Fever (#4 de 5)

Editora // Dell Publishing

Estante // Fantasia Urbana

Período de leitura // de 25 de Novembro a 3 de Dezembro de 2013

Formato // Ebook

Língua // Inglês

Classificação // 5 estrelas

 

Opinião // Gosto muito de livros narrados na primeira pessoa e, talvez por isso, tenha ficado fã desta série desde o primeiro livro. A narrativa contada por Mac, vai a cada livro, assumindo contornos mais dark, a voz dela vai mudando, amadurece e nós com ela.

Apesar do que outros fãs me diziam, Dreamfever conseguiu manter e elevar o meu gosto por esta saga. A cena final do livro anterior foi um ponto de viragem, sem dúvida, o qual não me desmotivou de todo em continuar. Dreamfever é o mais rebuscado dos 4 livros que li até ao momento mas não me demoveu de continuar (e terminar) a sua leitura. No último terço do livro dei por mim o tempo todo a pensar: "Mas que raio estou eu a ler?" E depois termina noutro cliffhanger. Yupii, not!

Porque gosto tanto destes livros? É difícil explicar. Um misto de heroísmo com o desejo terrível em descobrir o que vai acontecer a seguir. É ver alguém cair vezes sem conta e voltar a erguer-se cada vez mais fortes. É serem tão básicos na escrita e, simultaneamente, tão envolventes. É o serem tão criativos e surpreendentes. É conseguirem apagar o mundo que me rodeia. Dreamfever conseguiu isso e por isso encheu as minhas medidas de leitora.

  

Nomes dos personagens // McKayla Lane, Jericho Barrons, V'Lane, Dany O’Malley

Nomes dos lugares // Dublin

Conteúdo sexual // É descrita uma cena de violação mas de forma pouco explícita. As cenas de sexo são igualmente intensas mas pouco explícitas.

Violência física // Sim

Violência psicológica // Sim

Pontos positivos // Gosto de tudo nesta série, tudo.

Pontos negativos // Talvez a parte final do livro que ficou um pouco confusa.

Fez-me reflectir sobre // Labirintos e más decisões.

Faefever, de Karen Marie Moning

Faefever
Eu sabia de antemão que ia sofrer no final deste livro, estava mais que avisada. Quando quase todas as opiniões que lemos começam por "O QUE É QUE ACONTECEU AQUI?!" ou "QUE FINAL FOI ESTE?" sabemos que devemos estar preparados para sofrer. Mesmo assim nada, durante dois terços do livro indicam o que vai acontecer. Ou melhor (e é nisto que eu vejo o brilhantismo de uma autora que planeou a história antes de a escrever) há indícios mas, quando a merda acontece, já é tarde demais. E como leitora fui surpreendida. Este é uma história que é uma autêntica montanha-russa de emoções negras e pesadas.
A Mackayla nunca esteve tão bem como agora. Acho que ela está mesmo no ponto: mais preparada, mais destemida, em que consegue negociar e manipular as várias partes que a tentam manipular e usar, sem ceder demasiado. A Mac está do lado da Mac e de mais ninguém. Adoro-a e detesto-a. Aliás, eu adoro-a. Há muitos momentos neste livro (nos anteriores também) em que percebemos o quanto ela está sozinha e se sente sozinha. Mais do que a dor da morte da irmã é ter de lidar com toda uma realidade e não ter mais ninguém em quem confiar. E nas suas horas mais solitárias somos nós que estamos ali com ela mas não podemos, infelizmente, conforta-la. 

O livro dá uma grande reviravolta no fim, passando de uma simples fantasia urbana a uma distopia, depois de um certo acontecimento de proporções apocalípticas. Mac, Dublin e o mundo: nada fica a salvo do que acontece.
Adoro a forma como Dublin é retratado nestes livros. Dublin não é apenas paisagem de fundo para enfeitar uma história. Dublin é ela própria um personagem que determina o tom, o ambiente, que se agita e sofre através dos seus habitantes. Há todo um parágrafo que resume perfeitamente tudo aquilo que esta história é, na sua essência:

And I had a startling realization: I loved this city.

Even swimming as she was with monsters, deluged by crime, tainted by the violence of the Sinsar Dubh, I loved Dublin. Had Alina felt this way? Terrified of what might come, but more alive that she'd ever been?
And more alone.


Tenho curiosidade e terror em saber o que vai acontecer a seguir a este livro. Será o próximo ainda mais dark? Conseguirei sobreviver como leitora a tanta dor e suspense? Uma coisa é certa: Faefever foi o melhor dos três que li da saga até agora. Se há alguém que quer saber o que é ler uma fantasia urbana, esta é uma boa série para perceber isso mesmo.

 

Nomes dos personagens: McKayla Lane, Jericho Barrons, V'Lane, Dany O’Malley
Nomes dos lugares: Dublin
Conteúdo sexual: Sensual, descritivo, erótico mas com uma cena de sexo apenas e não muito explícita.
Tipo de cenas: Beijos e nudez e uma cena de sexo.
Violência física: Sim
Violência psicológica: Sim
Pontos positivos: Erm.... tudo?
Pontos negativos: Erm.... nada?
Fez-me reflectir sobre: Apocalipse, Inferno, solidão.

 

Autor: Karen Marie Moning
Série: (#3 Fever)
Editora: Dell Publishing
Estante: Fantasia Urbana
Leitura temática: Não
Período de leitura: 31 Maio a 6 de Junho 2013
Formato: ebook
Língua: Inglês
Classificação: 5 estrelas: Adorei-o! É muito bom.

Bloodfever

bloodfever

Lido no Kindle 
Lido em Inglês
Esta opinião contém spoilers
Série: Fever (#2 de 5)

Resumo: Mackayla ainda mal recuperou do que aconteceu na casa do Lord Master e novos problemas surgem à sua porta: o Inspetor que estava a investigar a morte de Alina aparece morto e Mac é agora a principal suspeita. Fiona tenta matá-la, um espectro começa a assombra-la e o pai aparece para leva-la de volta aos EUA. Ela sabe que não pode regressar, ainda não. O pai revela-lhe como foi adoptar as duas irmãs ainda bebés e que não tem mais informação sobre a mulher que as deu para adopção. A pessoa que pode deter essa informação é Rowena, a idosa que não a ajudou das duas ocasiões que Mac a viu. Mac descobre que que as Sidhe-seers estão organizadas mas ainda é muito cedo para poder confiar nelas. Depois de ser transportada para Fairie por V’Lane, Mac regressa e descobre que perdeu um mês da sua vida. Tudo em Dublin parece estar pior e Hunters são avistados. Um deles persegue-a e Mac acaba por cair nas mãos de um velho inimigo.

Expectativa: Li o 1º volume recentemente e estava curiosa em dar o próximo passo no mundo misterioso de MacKayla Lane.

Opinião: Peguei no Bloodfever ainda estava a ler Os Leões de Al-Rassan, porque precisava de desanuviar um pouco daquela leitura. Depois comecei a ler o E Tudo o Vento Levou (que estou a adorar) e comecei a ficar obcecada com o livro. Para desanuviar voltei a pegar no Bloodfever e… já não o consegui pousar!Que leitura viciante!!!
A nossa amiga MacKayla está menos “loira”, mais atenta e cuidadosa. No entanto, não tendo sido educada como sidhe-seer, volta a cometer erros e a cair em situações perigosas. O mais viciante destes livros é não sabermos ao certo o que se passa e se os nossos aliados são bons ou maus na luta contra os Faeries.
Barrons, o que raio é o Barrons afinal?! Adoro que a Mac passe a vida a desdenhar dele e depois ver que a atração entre eles gera energia elétrica suficiente para alimentar uma pequena cidade durante uma semana. Descobrir o que o Barrons é quase como uma regra de “noves fora”: ele não é humano mas não é Fairie, não é Sidhe-seer, não come UnSeelie e está todo cheio de tatuagens protetoras no corpo. Porque é que ele não abre o jogo?? Fico doente com estes mistérios (e adoro!!).
V’Lane volta a aparecer, da forma mais inconveniente possível, fazendo a Mac a viver uma situação agridoce quando está em Fairie. V’Lane também quer o livro e pouco mais sabemos além disso.
Ficamos a conhecer a Dani, e esta leva-a até à idosa que Mac tinha encontrado duas vezes no livro anterior: Rowena. Com ela ela aprende algo mais sobre a sua espécie mas não dá pulinhos de alegria para se juntar ao resto do bando (boa Mac!!") e abandonar o Barrons.
No fim Mac reencontra um velho inimigo que está MUITO chateado com ela e que a deixa num estado lastimável, pobrezinha.
O livro termina de uma forma semelhante ao primeiro, ou seja, num terrível cliffhanger que me dá vontade de começar a ler o próximo JÁ!
Se dúvidas tive quanto a esta série, Bloodfever anulou-as por completo. É divertida, dark, com tensão sexual q.b. Acima de tudo lê-se e entretém muito bem. Estou a gostar cada vez mais desta heroína.

Pontos positivos: Todos, leiam esta série!!

Pontos negativos: Por vezes a Mac é um bocadinho EMO mas acho que é em parte normal, considerando o que ela está a sofrer.

Estado de espírito:Bom, estava a tentar anular um pouco da minha obsessão com o E Tudo o Vento Levou e a terminar os últimos dias de trabalho. Algumas situações difíceis têm estado a acontecer na minha vida real e tem sido uma boa forma de anular a dor.

Fez-me refletir sobre: O quanto eu gosto deste tipo de livros, cheios de mistérios e algum terror com uma heroína vacilante e por isso credível.

Volume anterior: #1 Darkfever

Darkfever

DarkfeverLido no Kindle
Lido em Inglês
Esta opinião contém spoilers

Série: Fever (#1 de 5)

Resumo:  MacKayla Lane é uma miúda de 23 anos, gira, loira de olhos verdes, que tem uma vida confortável como empregada de bar numa terra pequena perto de Dallas. Só que a sua vida transforma-se completamente a partir do momento que sabe da morte da sua irmã Alina, que tinha ido estudado para Dublin, Irlanda. Descontente com o rumo da investigação decide ela própria rumar a Dublin mas ao fazê-lo vai descobrir muito mais do que esperava encontrar: que as fadas existem, que ela consegue vê-las e que existe um livro perdido que precisa de ser recuperado. Confusa, Mac tropeça em Barrons, um homem misterioso que a “ajuda” mas que Mac não compreende realmente com que intenção, em V’Lane, um príncipe que a mera presença desperta a sua libido e numa velhota que é vidente como ela.

Expectativa: Um grupo no Goodreads começou a leitura conjunta deste livro e, apesar de não ter aderido, fiquei curiosa em lê-lo.

Opinião: Ora aqui está uma das boas surpresas deste ano. Se a leitura deste volume aconteceu por impulso, a leitura dos próximos será por interesse puro. A história é enganadoramente simples, pois este livro limita-se a contar o início da jornada de MacKayla, o que a levou a cruzar-se com o mundo dos fae e que mundo é esse. Contado pela própria Mac, como se relembrasse o passado, é interessante ver a perspectiva que ela tinha de si mesma (que não era negativa) e o início da sua transformação de miúda despreocupada para possível heroína. Ao início parece irritante mas depressa percebi que era propositado. Gostei muito dos diálogos internos dela, não caindo no excesso de parvoíce ou de tristeza e amargura. Tudo teve o seu devido espaço e tempo. Esta história também nos apresenta Jericho Barrons, dono de uma livraria e conhecedor dos Fae, uma velhota que vê o mesmo que MacKayla e V’Lane, um príncipe dos Fae. Mac, muito acertadamente, não confia cegamente em nenhum deles, pois é para ela quase impossível perceber, neste momento, se está a ser manipulada ou realmente ajudada.

Pontos positivos: Achei o “Darkfever” um excelente início de série, bem pensado e estruturado, com um ritmo fácil de acompanhar, com um universo e personagens muito interessantes.

Pontos negativos: Não é bem um ponto negativo mas gostava de ter a perspectiva de outras personagens. Esperava mais respostas neste livro, deixou muita água na boca.

Estado de espírito: Boa, tive pena de ter tido de abandonar o livro a meio para ler o Deadlocked porque quebrou um pouco o ritmo de leitura.

Fez-me refletir sobre: Em quem podemos ou não confiar.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2005
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D