Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Telmixa

Mix de leituras, organização, tv, filmes, tecnologia e de mim, claro!

Telmixa

Mix de leituras, organização, tv, filmes, tecnologia e de mim, claro!

[Vídeo] Novo Fórum Setúbal









 


A construção do Fórum Setúbal, na zona do Vale da Rosa, é iniciada já no segundo trimestre do ano, foi anunciado na apresentação pública do projecto, realizada no dia 25.

“Este é um dos projectos que evidencia a estratégia da Câmara Municipal em reposicionar Setúbal como pólo regional no contexto da Área Metropolitana de Lisboa”, e que vai funcionar como “um pólo aglutinador de atractividade para setubalenses e visitantes”, salientou a presidente da Câmara Municipal de Setúbal na cerimónia, realizada no Salão Nobre dos Paços do Concelho, que contou ainda com a presença de representantes da empresa promotora do empreendimento, Multi Development Portugal.

Maria das Dores Meira sublinhou a importância da concretização do projecto deste equipamento comercial não só pelo elevado investimento, na ordem dos 110 milhões de euros, e pelos dois mil postos de trabalho criados (1300 directos e 700 indirectos), mas também para a dinamização daquela área.

“Não se trata somente da construção de um grande centro comercial. É também o efeito multiplicador que este vai gerar no território, funcionando como âncora no desenvolvimento do Plano de Pormenor do Vale da Rosa, estimulando a reabilitação de todas as infra-estruturas das áreas envolventes”, acentuou a autarca.

Para concretizar este objectivo – reabilitação de todas as infra-estruturas das áreas envolventes – Maria das Dores Meira esclareceu que a “Câmara Municipal vai reinvestir a totalidade das receitas provenientes das taxas urbanísticas, num valor superior a oito milhões de euros”.

Com este investimento, adianta a edil, é possível “transformar a EN10, entre o Monte Belo e o nó do Alto da Guerra, numa avenida de características urbanas, com passeios, estacionamento e iluminação pública”, intervenções que abrangem também a remodelação das redes de saneamento, drenagem e abastecimento de águas e electricidade.

“Estes projectos, também programados para o segundo trimestre de 2010, são determinantes para a requalificação desta zona da cidade”, referiu a presidente da Câmara, sublinhando que, mesmo “em tempos de crise, Setúbal continua a atrair investimento” com o objectivo de modernizar a cidade.

Com 44 mil metros quadrados de área comercial distribuídos por três pisos, o Fórum Setúbal, cuja conclusão das obras está programada para o segundo trimestre de 2013, este equipamento comercial pretende ser um novo pólo de atracção para a população de Setúbal e municípios limítrofes.

O Fórum Setúbal, neste momento já com uma ocupação comercial garantida da ordem dos 64 por cento, inclui 110 lojas, distribuídas por dois pisos, em que constam lojas como Fnac, Primark, Worten e Modalfa.

O novo equipamento inclui um hipermercado Continente com mais de 12 mil metros quadrados, uma praça de alimentação com 22 restaurantes e seis salas de cinema, localizadas no terceiro piso.

Em termos de estacionamento, o Fórum Setúbal vai disponibilizar 2160 lugares, 360 no exterior e 1800 no interior do equipamento, distribuídos por igual quantidade em dois pisos subterrâneos.

Este projecto, de arquitectura contemporânea, é caracterizado por aspectos de âmbito internacional mas que pretendemos que tenha características muito próprias da cidade”, explicou o director da Multi Development para a área da Europa do Sul, Benno van Veggel, a propósito das características estéticas do Fórum Setúbal.

Já o director comercial para a área da Europa do Sul, Paulo Sarmento, destacou a “área de influência e a dimensão do futuro equipamento”.

A presidente da Câmara Municipal de Setúbal reconheceu que este dia, “de elevada importância para Setúbal”, representa o “culminar de um processo muito complicado e que se arrastou demasiado” no tempo.

“Esta unidade comercial está inserida no Plano de Pormenor do Vale da Rosa, que esperou largos anos para ser ratificado pelo Governo, o que aconteceu numa altura de crise do sector imobiliário”, frisou.

A autarca indicou a intenção de afirmar a competitividade territorial de Setúbal “não só na área comercial, mas também como plataforma logística e empresarial”, bem como “na área da investigação e desenvolvimento, através da criação de um Parque de Ciência e Tecnologia, na área industrial, com a dinamização do Parque da Mitrena, e nas áreas culturais e turísticas”.


 


Fonte