Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Telmixa

Mix de leituras, organização, tv, filmes, tecnologia e de mim, claro!

Telmixa

Mix de leituras, organização, tv, filmes, tecnologia e de mim, claro!

Série de TV: Os Pilares da Terra

 

 

Decidi escrever a minha opinião sobre a série de TV depois de escrever a opinião do livro, embora tenha terminado de ver a série antes.
Com apenas 8 episódios e um elenco com alguns nomes importantes, esta mini-série propôs-se traduzir as mil páginas escritas por Ken Follet para o pequeno ecrã. Mesmo só tendo lido metade da história até ao momento em que a comecei a ver, a minha expectativa era grande. Resumindo numa palavra sobre o que achei: meh. Ou “nim”. Ou imaginem-me a encolher os ombros. Isso mesmo.
Passo a explicar: o primeiro volume do livro (em Portugal a Presença publicou o livro em 2 volumes) foi condensado em 2 episódios. As minhas pestanas ardiam por tentar acompanhar aquilo tudo em duas horas tal era o receio que tive de pestanejar e perder alguma cena importante. Houve ali algo que se perdeu e esse algo foi a ligação com os personagens. Ao contrário do livro, pouco me interessou o que lhes acontecia ou não. Depois, os 6 episódios seguintes foram vistos sem conhecer o resto da história. Apesar de continuar a achar que os acontecimentos se atropelavam uns aos outros, a história resultou bem e teve o seu q.b. de emoção.

 


Foi na escolha do elenco que esta série saiu como grande vencedora. No lado dos veteranos temos Rufus Sewell como Tom Pedreiro, Donald Sutherland como o pai de Richard e Aliena, Ian McShane como Waleran e Matthew Macfadyen como o Prior Philip. Fiquei um pouco apreensiva com o actor escolhido para o Prior Philip e a minha primeira impressão foi que parecia mais um “tótó” do que um prior determinado mas rapidamente mudei de opinião com o decorrer dos episódios.

 

Por outro lado, tínhamos uma série de jovens desconhecidos a encarnar Jack, Aliena, Richard, e William. E é neste grupo dos mais novos que eu tenho a tecer os maiores elogios assim como as maiores críticas.

Eddie Redmayne conseguiu um Jack maravilhoso, interpretando maravilhosamente tanto o Jack estranho e invulgar até ao Jack confiante e sonhador. Sam Claflin também surpreende como Richard, elevando um personagem detestável no livro a um quase herói na série. Já David Oakes como William fez um vilão muito fraco. William era nojento, vil e este rapaz esteve muito aquém na sua interpretação. E chegando à minha opinião provavelmente mais controversa, Hayley Atwell interpretou uma Aliena sem sal e sem interesse. Sim, eu sei que ela foi nomeada para um Globo de Ouro para este papel mas não gostei do que vi. Acho que é uma actriz mais adequada para o teatro e talvez quando for um pouco mais velha e experiente, uma boa actriz de TV.

 

Foi no décor que esta série mais falhou. Desde o estaleiro da construção da catedral, dos castelos e palácios pouco decorados até à amostra de muro que a população construiu para se defender do ataque de William, tudo pareceu-me pobre.

Mesmo assim acho que tudo isso seria tolerável caso a série tivesse sido mais longa. Porque esta está fiel ao livro, tirando algumas alterações. A condensação em apenas 8 episódios foi realmente a grande falha desta série. Muitas cenas ficaram aquém porque não se compreendia realmente as motivações dos personagens e por isso perdeu-se essa ligação com o espectador.

Isto tudo para dizer que vale a pena ver a série mas recomendo o livro. Podem ler a minha opinião do mesmo aqui e aqui.

Mais duas opiniões sobre a série: Split Screen e Arzebiu aos molhos.