Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Telmixa

Mix de leituras, organização, tv, filmes, tecnologia e de mim, claro!

Telmixa

Mix de leituras, organização, tv, filmes, tecnologia e de mim, claro!

Carta aberta ao autor do blog "Página a Página"

Caro Nuno Chaves,

 

Quero começar por dizer que não tenho intenção nenhuma de antagoniza-lo com este texto. Já tive a minha quota-parte de aborrecimentos online, principalmente com situações de plágio, e não desejo mais um. Acredito que os leitores-bloguers portugueses deveriam ser um grupo coeso (afinal de contas somos tão poucos) onde houvesse um intercâmbio de ideias, impressões, testemunhos, experiências.

Desde 2010 que faço um registo criterioso do custo do meu vício (ver aqui) e ele está visível para qualquer um ver o que eu já gastei ali na coluna à direita. A ideia pegou e outros bloggers adoptaram-no (Como por exemplo a White_lady do blog Este Meu Cantinho) e eu não me importei minimamente, pelo contrário, adoro partilhar. Não há nada como ver uma boa ideia crescer e tornar-se viral.

Há, no entanto, um problema na viralidade e na internet em geral que é a amnésia. Quantas vezes eu não dou por mim a descobrir algo de fantástico, partilha-lo e passado dois minutos já nem me lembrar onde o descobri. Ui, mais que muitas! E acho que isso não acontece só comigo porque, quantas vezes eu vejo expressões como "foto tirada da internet" ou "texto encontrado online" e outras variantes.

Mas voltanto ao tópico deste texto, estava eu a ler o blog da Rita Ribeiro, o "A Magia dos Livros" quando vi o texto dela "Plano de Compras 2014" com uma estrutura muito semelhante ao meu Custo do Vício, creditando o Nuno pela fantástica ideia. Fiquei curiosa, claro e fui lá espreitar. Realmente, a estrutura do seu "Mealheiro das Leituras" é muito parecida ao meu Custo do Vício. No entanto, em parte nenhuma encontrei o "Ler e Reflectir" lá mencionado e devidamente creditado, exceptuando num comentário que uma amiga minha lá deixou. Quem lê o seu texto parte, naturalmente, do pressuposto que a ideia foi sua, estrutura e tudo. Mas eu sei que não, sei que foi apenas esquecimento. Se faz o seu mealheiro desde 2012 é obvio que já nem se lembrasse de onde é que tinha tirado esta ideia. Basta fechar uma página e passado dois minutos, amnésia.

Por isso queria que soubesse, que não estou chateada pela falta de crédito. Apenas triste e, mesmo assim, pouco. Pois se uma boa ideia pode ajudar, seja que leitor for, não interessa realmente de onde ela vem, apenas que persiste.

 

Obrigada por partilhar.

Telma

4 comentários

Comentar post