Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Telmixa

Mix de leituras, organização, tv, filmes, tecnologia e de mim, claro!

Telmixa

Mix de leituras, organização, tv, filmes, tecnologia e de mim, claro!

Claimed, de Evangeline Anderson

 

Série: Brides of the Kindred (#1 de 8)
Expectativa: Confesso que esta foi uma leitura de último recurso: tinha decidido fazer uma semana de "leituras confortáveis" e no meu caso isso significa romances românticos. Como tinha adquirido alguns ebooks grátis na Amazon decidi que era uma boa altura para despachar sem ressentimentos essas leituras.  O que aconteceu foi que dois ebooks revelaram-se muito curtos e o terceiro muito chato (acabei por desistir dele). Eu já tinha adquirido gratuitamente na Amazon o Claimed há algum tempo e pensei "Porque não?" mas a verdade é que a expectativa que eu tinha dele era mesmo muito baixa porque estava a ser promovido como livro erótico de sci-fi (??) de uma autora auto-publicada.
Estado de espírito: Bom, andava um pouco cansada com o trabalho e a precisar desanuviar um pouco. Comecei o "Claimed" no final da semana e não pensei que o fosse ler tão depressa mas acabou por se revelar uma excelente surpresa.
Opinião: Apesar do cenário sci-fi desta história, "Claimed" é o típico romance romântico da "noiva à força". Lembro-me de pensar, durante os primeiros capítulos, que era desnecessário todo aquele cenário sci-fi que a autora estava usar apenas para colorir a história. No entanto, a certa altura, "o cenário" passou a universo relativamente interessante e percebeu-se que a autora tinha organizado bem as suas ideias criando regras, mitologias, vilões e situações de perigo que vão além da esfera do relacionamento e confrontos do casal, e tornou "Claimed" um pouco mais do que apenas o relacionamento do casal protagonista.
O livro é muito bem-humorado: As várias situações caricatas desde a situação ridícula de ser forçada a casar com um alienígena, ao confronto com o estranho animal doméstico que Baird tem na suite na nave espacial, à descoberta dos vários tipos de "homens" Kindred e suas diferenças anatómicas, além dos confrontos de Olívia com aparelhos domésticos desconhecidos, evitaram que o livro se tornasse monótono, aborrecido ou desinteressante. A escritora domina bem a fórmula deste tipo de romance, mantendo o interesse do leitor e oferecendo-lhe pequenos "docinhos" ao longo da narrativa mas deixando-o sempre pendurado a pedir por algo mais. 
Baird é o típico macho-alfa com uma faceta de ursinho carinhoso, protector, em tamanho XXL e em formato alienígena e Olivia a típica "eu-sou-uma-mulher-moderna-e-sei-o-que-quero-por-isso-não-percebo-porque-estou-tão-confusa" que se vê a braços com uma atracção física inexplicável por Baird que a deixa perto da loucura. É por isso fácil gostar e odiar ambos pelas razões do costume: entrega total, teimosia, burrice, ternura, falta de diálogo...
Os personagens secundários são mais do que meros figurantes (Sylvian, Sophia, Kat, além da sacerdotisa e dos vilões) e percebe-se que alguns deles irão merecer destaque em histórias seguintes.
É engraçado que o livro a que eu mais tinha resistido ler acabou por ser o que mais se adequou às minhas leituras confortáveis que eu procurei nessa semana. Simples de ler, divertido, romântico e claro, excitante.
Resumo: Durante seis meses Olívia teve sonhos recorrentes com o mesmo homem, um homem que ela nunca conheceu. Apenas quando foi selecionada para ser noiva de um guerreiro Kindred é que ela percebeu que o "homem" dos seus sonhos é o alienígena que agora a reclama. Os Kindred são uma raça alienígena de guerreiros que protege a Terra e outros planetas, da força maléfica dos Scourge. Em troca dessa proteção, e por sofrerem de um mal genético que resulta em que 95% da sua descendência seja do sexo masculino, eles exigiram em retorno poderem acasalar com as fêmeas humanas. 
Quando Baird estava a ser torturado e mantido em cativeiro pelos Scourge, a sua mente entrou em sintonia com a de Olivia e foi assim que ele soube que ela era a única fêmea do Universo para ele. No entanto, os rituais de acasalamento entre humanos e Kindred não são semelhantes e Olivia tem de passar por um periodo de reivindicação, em que o guerreiro Kindred tem de conquistar a fêmea que escolheu e o qual dura 4 semanas humanas, com as seguintes regras:
A semana do Toque - o guerreiro Kindred pode tocar e agarrar a sua noiva.

A semana do Banho - o guerreiro e a noiva banham-se juntos e ele pode massajá-la com óleos perfumados e dar-lhe prazer.
A semana do Provar - o guerreiro está autorizado a dar prazer oral à sua noiva.
A semana da União - o sexo é permitido mas depende da noiva se deseja ou não ter "sexo vinculativo" que é um processo especial e específico.
Além disso, Olivia é uma humana que se sente raptada da sua vida na Terra e muito contrariada com toda a situação. A promessa de amor eterno e sexo ardente poderá não ser o suficiente para a convencer a ficar com Baird. Ou será?
Pontos positivos: A mitologia em redor à reverência pelo sexo feminino pelos Kindred e o quanto eles estão dispostos a dar a vida para proteger a sua fêmea.
Pontos negativos: O episódio na casa da Jillian foi um pouco desnecessário. Não haver menção quanto à idade dos Kindred e expectativa de vida.
Fez-me reflectir sobre: Esta insistência ridícula de humanizarmos qualquer conceito de biologia extraterreste.