Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Telmixa

Mix de leituras, organização, tv, filmes, tecnologia e de mim, claro!

Telmixa

Mix de leituras, organização, tv, filmes, tecnologia e de mim, claro!

Como deixar de ser um não leitor

A internet parece estar cheia de dicas para tudo e mais alguma coisa: como passar do sofá a correr a maratona, como se tornar um chef lá em casa, como deixar os maus vícios e ter uma vida melhor , etc. Ironicamente nunca encontrei um artigo que incentive alguém que não lê a começar a fazê-lo. Talvez porque a comunidade de leitores é tão vasta e está constantemente a estimular-se mutuamente para ler mais e mais que nos esquecemos daqueles nossos amigos que confessam: "Ah, como eu gostava de ler mais mas..." ou "Eu já li um livro, uma vez, há muitos anos atrás." Talvez porque se olha para o acto de leitura como um passatempo, um desejo ou opção, e não como se olha o exercício físico. E é como o exercício físico, na verdade. Exige esforço, tempo e dedicação com inúmeras e maravilhosas recompensas: mais cultura geral, mais empatia com o próximo, redução de stress, aumento de vocabulário, etc, etc, etc... Mais do que isso: qualquer um pode fazê-lo. A seu tempo e a seu ritmo. A alternativa é ser como o Kanye West.

Sou um orgulhoso não leitor de livros - Kanye West

Portanto este texto vai para todos aqueles que querem começar a ler pelo menos um livro por ano e para todos os leitores que queiram ajudar o vosso amigo a começar a fazê-lo.

 

Não te deixes intimar

 Tal como já disse, a internet está inundada de nerds de livros: se sai um filme, eles já leram o livro, se alguém diz uma frase genial eles dizem logo de que livro isso foi tirado. Tu revelas que leste um livro o ano passado e eles respondem que leram 52 livros, pelo menos um por semana. E Deus nos livre quando começam a dissecar o simbolismo daquele momento do filme que tão bem estava ilustrado no livro e que o realizador captou tão mal! A verdade é que lá no fundo também queres partilhar um pouco desse mundo mas não sabes bem por onde começar pois são tantas opções (de livros, grupos de leitura, géneros) que o melhor é ficar quieto. Não, quieto nunca. O melhor é começar devagar.

Não te compares com quem lê 52 livros (ou mais) por ano. Não te envergonhes se alguém desdenhar da tua leitura e até estás a gostar (todos os amantes da leitura passam por isso). Há livros para todos os gostos, da ficção à não-ficção e tu vais encontrar o teu. Se achas que é aborrecido estar parado a ler, compra um audiobook e ouve-o enquanto passeias os cães ou vais dar uma volta ou corrida. Ignora os book snobs que tentam mostrar o quanto são bons cuspindo uma data de informação que a ti (e a 99% da população) nada diz ou interessa. O que interessa é a relação que estabeleces com o livro e isso apenas.

 

Ler não é um teste

Há quem associe os livros aos tempos de escola e daquela fase horrível de TER DE LER UM LIVRO para os exames. Assim nunca se conseguiu dissassociar o acto de ler ao acto de ser avaliado. Ler por prazer não é uma avaliação. Na verdade, mesmo quando perguntam o que achaste, a resposta esperada é normalmente: "Gostei, foi fixe!". Ninguém quer ouvir uma dissertação sobre o mesmo. A escola acabou e o importante é descobrir outros mundos e viver outras vidas através da leitura. Sem análises ou julgamentos.

 

Há leituras grátis

O primeiro passo é adquirir um livro. É possível que o teu amigo leitor te diga: "Não, o primeiro passo é escolher o que queres ler." mas isso é um erro, na minha opinião. Uma pessoa pode perder o desejo nas opções infinitas da leitura. Ninguém começa a fazer exercício físico sem aquecimento e é assim que vamos olhar para este primeiro passo: como um aquecimento.

Para não haver receio de desperdício de dinheiro o primeiro passo é adquirir esse primeiro livro de forma gratuita. Como? Fácil: pede ao teu amigo se te empresta um livro ou vai à biblioteca da tua localidade. Assim, se desistires ao fim de 10 páginas podes sempre trocar por outro sem culpa de teres gasto dinheiro. Com sorte algum familiar te ofereceu um livro pelo Natal e tu simplesmente nunca lhe pegaste. Aqui tens a tua oportunidade e a custo zero! E com sorte podes fazer um resumo do que gostaste ao familiar que to ofereceu.

 

Uma viagem de mil léguas começou com o primeiro passo. - Lao Tsé

Ok, livro adquirido e agora? Assim que puderes lê o primeiro parágrafo ou página. Talvez ainda estejas na biblioteca, na casa do teu amigo ou na ceia de Natal e poderá parecer impróprio. Que se lixe! Basta olhar em volta e ver a quantidade de pessoas que lê em transportes públicos, filas de finanças e salas de espera do hospital. O importante é estabelecer a ligação imediata com o livro, começar a caminhada. O resto acontece depois. Quando é que vais ler? Bem, mais importante do quando é decidir o quanto é que vais ler sempre que pegares no livro. Esta é daquelas regras que funciona muito bem comigo principalmente quando não estou a gostar do livro. Imponho-me um mínimo de 20 páginas por sessão de leitura. Nem sempre os cumpro mas tenho sempre esse número presente quando recomeço a ler. Por isso começa devagar: uma página por sessão, uma sessão por dia. Consegues mais? Boa! Mas mantém os mínimos. Uma página por dia são 365 páginas por ano e há muitos livros com esse número de páginas, ou menos!

 

Arranja um amigo de leitura

Apesar de ler ser um acto solitário a verdade é que muitos leitores procuram estar juntos (fisica ou virtualmente) para se encorajarem a ler mais ou apenas manter o ritmo de leitura. Esse parceiro pode ser real ou virtual. Pessoalmente acho que o real faz mais sentido porque promove o teu desejo com o seu bom exemplo. Se ele está sempre a ler, também queres lhe fazer companhia, se ele te pergunta como está a correr, tu queres ter uma resposta para dar. Até quando não estão a ler só o facto de mencionar o livro x quando vêm um trailer de um filme ou te contar como é o enredo do que está a ler te vai dar vontade de fazeres parte desse mundo. A verdade é que por vezes adoptamos os hábitos dos outros (os bons e maus) quase de uma forma inconsciente. Se tens alguém na tua vida que te mostra como se faz, faz com ele!

Outras actividades que podem ajudar a motivar caso não tenhas esse amigo: participar em tertúlias promovidas em livrarias, em encontros de leitores na tua cidade ou mesmo assistir a um lançamento de um livro! Ver tantos leitores reunidos num só lugar pode ser intimidante, como entrar num ginásio pela primeira vez, mas nada como ser sincero e dizer que se está apenas a começar. Logo surgirão pessoas dispostas a ajudar a manteres-te activo!

 

Quando ler?

Não tenho tempo é a desculpa mais comum para não começar um hábito novo. Normal. Por isso o ideal é combinar com outras actividades: Vais correr? Leva um audiobook. Vais esperar numa fila? Leva um livro e lê enquanto esperas. A natureza chama? Deixa o livro por lá e pega nele enquanto estás sentado no trono. Ler antes de dormir? Bem… eu não sou grande fã mas parece que muita gente gosta, por isso, porque não? Eu leio no comboio, por exemplo. Mas também durmo e converso com amigos. Ler não me rouba tempo doutras coisas, apenas transforma aquele tempo inútil em algo mais útil. Troca meia hora a scrollar no facebook, por uma hora de leitura. Se não dá para ler em casa, vai para o café, jardim ou mesmo a biblioteca. Lavaste o chão e agora não o podes pisar até secar? Leva um livro contigo e enquanto o chão seca e as costas descansam, lê.

 

Momentos em que vais desistir

 Há alturas em que o nosso cérebro arranja todo o tipo de desculpas para não ler ou desistir da leitura. Isso é normal. Podes ler 20 livros por ano e isso continuar a acontecer. Se é isso que queres então desiste do livro mas continua a ler. O importante é não associar o livro ao acto. Por exemplo, podes gostar de praticar zumba e detestas correr. Continuas a fazer desporto na modalidade que gostas, certo? Com os livros é igual.

Outro momento em que pode ser normal desistir é quando se acaba o primeiro livro e não se consegue começar outro. Ou porque voltamos a sentir-nos perdidos nas inúmeras opções ou porque não se instaurou o hábito de ler. Nada suscita interesse, talvez ler não seja para ti. Treta! Isso acontece a toda a gente. A diferença entre um leitor e um não leitor é que esta fase da escolha do livro seguinte é vista como um desafio, não como um receio, ou como uma desculpa para desistir. Um leitor não concebe a ideia de parar. Se queres ser um leitor parar não é opção. Olha para o próximo livro como um desafio, não como uma tarefa ou obrigação. Tal como no cinema, por vezes as expectativas saem furadas, por vezes somos surpreendidos. É normal escolher um livro mau e é tão bom quando se encontra um livro bom.

Se nada disto resultar, há ainda outra opção: ler para outros. Podes sempre te juntar a um grupo de voluntários da leitura e ajudar crianças com problemas de literacia ou adultos com problemas de visão a usufruir de uma boa história. Não só estarás a contribuir para outros como para ti próprio, porque te forças a ler com a desculpa que o fazes como boa acção. Parece perverso mas é eficaz.

 

Seja qual for o ponto em que te encontras o importante é não desistir: uma palavra, uma frase, um parágrafo, uma página, um livro de cada vez. Um livro e depois muitos livros e a pouco e pouco perceberás a diferença de como eras antes e agora que lês. Ler não é uma actividade essencial à vida mas torna a vida muito melhor. Desejo-te uma boa caminhada.