Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Telmixa

Mix de leituras, organização, tv, filmes, tecnologia e de mim, claro!

Telmixa

Mix de leituras, organização, tv, filmes, tecnologia e de mim, claro!

E assim começa a aventura do roupeiro

A compra do roupeiro deveria ter sido logo a seguir à da cozinha. No entanto, devido a promoções e outras coisas mais, acabei por comprar a cama, o colchão, assim como o resguardo do polibã, os estores para a cozinha (que vão ser colocados hoje) e os electrodomésticos.

Quanto ao roupeiro, sendo actualmente uma visitante do site IKEA, assisti com alguma ansiedade, às pequenas alterações que foram fazendo à secção de arrumação de quarto. Finalmente ontem (ou hoje de madrugada, pois já passava da meia-noite)  ficou finalmente disponível o novo planificador PAX. Yay! Isto porque começa agora uma campanha de promoção de roupeiros, que eu vou aproveitar.

O tempo que perdi a aprender no novo planificador foi pouco, já que este se assemelha bastante ao da cozinha. Apercebi-me que o PAX de 66 cms de profundidade deixou de existir, assim como alguns dos organizadores de interior. Mesmo assim, acho que montei um roupeiro que me agrada bastante:

- À esquerda: espaço para guardar roupa de cama, atoalhados e roupa de outra estação.

- No centro: espaço para a roupa do dia-a-dia. Em cima camiseiros, blusas e casacos, em baixo um espaço para as calças e outro para cestos.

- À direita: espaço para vestidos e casacos compridos.

Em cima reservei espaço suficiente para guardar mais roupa.

 

 

 

 

Quanto às portas, escolhi o estilo Hemnes sugerido no planificador, ao qual mudei apenas os puxadores.

 

 

Assim, um roupeiro com  2 metros de largura e a estrutura na imagem ficará por pouco mais de 500€. Falta agora ir à loja e saber quanto será a entrega e a respectiva montagem.

 

Nada Tenho de Meu, vários autores

 

Todos sabemos que o ser humano é multifacetado e que não deve ser rotulado apenas por uma das suas características. Nunca tinha pensado nisso em relação à forma como uma história é contada até ter recebido em casa o livro e CD "Nada Tenho de Meu" de Miguel Gonçalves Mendes, Tatiana Salem Levy e João Paulo Cuenca.
Primeiro peguei no livro e, apesar de ser uma novela gráfica, demorei 4 dias a lê-lo. Custei a compreender a mensagem, talvez pela sua narrativa fragmentada, talvez porque não me fosse claro quem era o narrador ou simplesmente pela sua natureza gráfica.
Foi então que, ao ver os episódios desta série e que tudo se encaixou. Sob a direcção Miguel Gonçalves Mendes, as palavras de João Paulo e Tatiana ganham forma, cores, sentimentos. O livro é uma imagem da mini-série. Não bem igual mas quase. Uma ficção sobre a ficção.
"Nada tenho de meu" parece ser um diário de viagem em que os personagens viajam, não só ao extremo oriente mas dentro de si mesmos e nós com eles. Fez-me, por exemplo, viajar dentro de mim mesma e deu-me vontade de rever "O Amante" de Jean-Jacques Annaud e a obra homónima e autobriográfica que lhe deu origem, de Marguerite Duras.
Estes personagens, que se reúnem para um evento específico em Macau, partem em viagem e é a partir daí que surge a desconstrução: a narrativa fragmentada faz o leitor/espectador sentir-se ao princípio um pouco perdido (tal como os personagens) para depois poder apreciar apenas os conceitos: medo, solidão, amor, vazio, desilusão, humanidade.
Apesar de não ter apreciado o livro isoladamente, este, em conjunto com a mini-série, acaba por se tornar muito mais interessante. Duas facetas que se complementam e que formam uma história só, um registo documental ficcionado a três mãos, que une duas culturas díspares, a Ocidental e Oriental, que se encontram para mostrar que humanos somos todos nós. Um só.
Fiquei muito impressionada com a direcção do Miguel Gonçalves Mendes. A fotografia, a edição, o som... tudo é apresentado de uma forma tão bela e sensível (e ao mesmo tempo esmagadora) que me provoca um amargo de boca de arrependimento por não ter visto o "José e Pilar" (até agora, vou tratar disso!). Deu-me também a conhecer dois escritores: a Tatiana Salem Levy, com cujas ideias me identifiquei bastante e João Paulo Cuenca, o mais niilista dos três e de quem quero ler mais coisas num futuro próximo.
Podem ver os episódios que já passaram na RTP2 (sextas-feiras à noite) publicados online no Sapo Vídeos. Cada um tem a duração de 10 minutos. Ou comprarem o livro com o DVD e assim obterem a experiência completa.

Carta aberta ao autor do blog "Página a Página"

Caro Nuno Chaves,

 

Quero começar por dizer que não tenho intenção nenhuma de antagoniza-lo com este texto. Já tive a minha quota-parte de aborrecimentos online, principalmente com situações de plágio, e não desejo mais um. Acredito que os leitores-bloguers portugueses deveriam ser um grupo coeso (afinal de contas somos tão poucos) onde houvesse um intercâmbio de ideias, impressões, testemunhos, experiências.

Desde 2010 que faço um registo criterioso do custo do meu vício (ver aqui) e ele está visível para qualquer um ver o que eu já gastei ali na coluna à direita. A ideia pegou e outros bloggers adoptaram-no (Como por exemplo a White_lady do blog Este Meu Cantinho) e eu não me importei minimamente, pelo contrário, adoro partilhar. Não há nada como ver uma boa ideia crescer e tornar-se viral.

Há, no entanto, um problema na viralidade e na internet em geral que é a amnésia. Quantas vezes eu não dou por mim a descobrir algo de fantástico, partilha-lo e passado dois minutos já nem me lembrar onde o descobri. Ui, mais que muitas! E acho que isso não acontece só comigo porque, quantas vezes eu vejo expressões como "foto tirada da internet" ou "texto encontrado online" e outras variantes.

Mas voltanto ao tópico deste texto, estava eu a ler o blog da Rita Ribeiro, o "A Magia dos Livros" quando vi o texto dela "Plano de Compras 2014" com uma estrutura muito semelhante ao meu Custo do Vício, creditando o Nuno pela fantástica ideia. Fiquei curiosa, claro e fui lá espreitar. Realmente, a estrutura do seu "Mealheiro das Leituras" é muito parecida ao meu Custo do Vício. No entanto, em parte nenhuma encontrei o "Ler e Reflectir" lá mencionado e devidamente creditado, exceptuando num comentário que uma amiga minha lá deixou. Quem lê o seu texto parte, naturalmente, do pressuposto que a ideia foi sua, estrutura e tudo. Mas eu sei que não, sei que foi apenas esquecimento. Se faz o seu mealheiro desde 2012 é obvio que já nem se lembrasse de onde é que tinha tirado esta ideia. Basta fechar uma página e passado dois minutos, amnésia.

Por isso queria que soubesse, que não estou chateada pela falta de crédito. Apenas triste e, mesmo assim, pouco. Pois se uma boa ideia pode ajudar, seja que leitor for, não interessa realmente de onde ela vem, apenas que persiste.

 

Obrigada por partilhar.

Telma

The Kraken King - 8 capas

Ao contrário do que aconteceu com os anteriores volumes da saga "The Iron Seas", o 4º volume da saga, intitulado The Kraken King, será publicado de forma serializada em ebook, ou seja, divido em oito partes distintas. Posteriormente, talvez para o final do verão, será então publicado como um volume único, distribuído em papel. Eu já tinha escrito sobre a capa do livro, revelada em Dezembro, mas com esta divisão do livro em 8 partes, surgiram agora 7 novas capas, além daquela já mencionada. As 8 capas serão as seguintes:

 

 
   
   
   

 

Sim, aquele é o Palácio da Pena na 6ª capa 

 

E, apesar de no universo Iron Seas a Lusitânia estar infestada de zombies, não deixo de achar maravilhoso que um bocadinho de Portugal continue a fazer parte desta saga que tanto adoro!

Todos os detalhes sobre como comprar este 4º volume de forma serializada estão no site da autora, que começará a ser publicada a 15 de Abril até 3 de Junho. Atenção aos resumos de cada parte que spoilam partes do enredo.

Temporada Ficção Pós-apocalíptica 2014

 

Há dois anos fizemos uma temporada pós-apocalíptica que correu mais ou menos bem. Estas leituras temáticas são sempre boas para ler algo fora da nossa zona de conforto e tirar o pó de alguns livros que estão há demasiado tempo na estante.

Desta vez foi a Slayra que nos desafiou a fazer novamente uma leitura dentro deste tema. Assim sendo, já comecei a ler o A Canticle for Leibowitz (inglês). Não sei se vou conseguir ler mais algum além deste.

 

Temporada Ficção Pós-apocalíptica 2014

 

Início: 6 Fevereiro

Fim: 6 Abril

Regras

 

 

Participem! 

Pág. 1/2