Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Há mortos que morrem duas vezes...

por Telma Teixeira, em 24.06.10


 


...e há muitos jornalistas com falta de atenção. Que vergonha!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:14

A experiência diz-me que...

por Telma Teixeira, em 17.06.10

...pessoas que estão constantemente a corrigir os outros, principalmente nas coisas mais pequenas e sem importância (micro-gestão) têm falta de confiança em si mesmas e estão muito conscientes dos seus erros, mesmo que não admitam cometê-los.


Lidar diariamente com alguém assim, seja no trabalho ou em casa, é obra, pois essa pessoa toca os limites do obsessivo-compulsivo, sendo um teste constante aos nervos de quem a rodeia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:35

Ajudar a combater o tráfico humano

por Telma Teixeira, em 16.06.10

 












A luta contra o tráfico humano para fins sexuais está longe de ter fim. O problema é mundial e as razões são tão diversas como as pessoas envolvidas. Eve Blossom apresenta neste vídeo aquela que foi a sua solução para o problema.

Concentrou-se numa determinada comunidade e nas dificuldades que esta enfrentava assim como oportunidades que oferecia e criou uma empresa que estimula o trabalho de comunidade, protege-a do tráfico humano, é sustentável e amiga do ambiente.

Por vezes uma ideia é apenas uma ideia, mas quando há uma vontade, uma paixão a movê-la, pode tornar-se em algo incrível.

Pessoalmente, gostei bastante de algumas ideias aqui apresentadas:

- A segurança vem da comunidade, porque quando as comunidades são fortes, não caem em situações de desespero;

- Quando alguém migra do meio rural para o meio urbano, fica mais vulnerável a este tipo de situações;

Ouve outras igualmente boas claro, sobre como um modelo de negócio não deve apenas preocupar-se com o lucro mas também com o meio que o envolve e com a comunidade que afecta. Muito, muito interessante!


Para saber e conhecer mais, ver o site The 99% onde está esta apresentação.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:35

Diário do Fertagus #1

por Telma Teixeira, em 08.06.10

A fulana que ia hoje à minha frente estava decidida que os bancos da Fertagus são mais confortáveis do que realmente são e decidiu esparramar-se tipo sofá. Tudo bem, desde que não me toque! Isto de ir de joelhos com joelhos a tocar com uma gaja que não conhecemos de lado nenhum é do mais enervante possível. Por várias vezes dei uma valente sacudidela no joelho, tipo: "Tás-me a tocar, orienta-te!" mas a minha linguagem corporal não foi bem interpretada.
De qualquer forma, os toquezinhos de joelho foi o suficiente para me arrancar constantemente do meu sono da manhã. Já não se pode contar com nada, realmente...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:04

Porque eu quero comprar uma casa...

por Telma Teixeira, em 07.06.10


 


... tenho que vender o meu carro ou o banco não me dará o crédito. Infelizmente.


Adoro o meu carro e parte-se-me o coração de ter de desfazer-me dele tão novo, mas infelizmente o dinheiro não dá para tudo.


Para quem estiver interessado em saber todas as características, além do preço de venda do mesmo, pode visitar o anúncio no StandVirtual. Espero que o próximo dono, goste tanto dele como eu!


 












Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 22:23

A ausência do silêncio

por Telma Teixeira, em 04.06.10

Surpreende-me como é que as pessoas não sentem falta do silêncio. Talvez seja uma coisa minha, mas ter uns momentos de silêncio durante o dia, que não sejam propriamente para dormir, são essenciais.
Hoje vivo constantemente submergida no som e detesto. São preciosos para mim todos os momentos em que não há sons, nem em casa, nem na rua.
Quando vim do Alentejo viver para a grande cidade a primeira diferença que notei foi o barulho. Achava infernal estar em casa e ouvir constantemente carros e pessoas. E se é verdade que nos habituamos ao barulho, cada vez mais há desrespeito quanto aos ouvidos dos outros e às horas de descanso.
Metro à hora de ponta: carruagem cheia mas ninguém fala no entanto ouve-se uma batida ruidosa a sair dos phones de alguém.
Comboio: uma hora de caminho a ouvir a música do telemóvel de alguém que acha que tem bom gosto musical. Ou alguém a conversar muito alto porque é muito interessante o que diz.
Em casa alguém põe música alto para ir tomar banho e discute-se à 1 da manhã como se fossem 3 da tarde.
Duas da manhã na minha rua: alguém acha piada andar a subir e a descer a rua de mota, a essa hora.
Fora isso há os telefones, apitos de máquinas, barulhos de carros e comboios, barulho do ar condicionado, etc...
Estar em silêncio é uma bênção cada vez mais escassa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:40

O Abraço da noite

por Telma Teixeira, em 03.06.10
Resumo: Talon é um Predador da Noite de origem Celta que está satisfeito por ser quem é. Mas, uma noite, ele cruza-se com Sunshine e tudo muda. Ela surpreende-o quando, após uma tarde apaixonada, ela não lhe pede para ficar com ela, como todas as mulheres faziam. E ele percebe que não a consegue esquecer. Mais tarde eles percebem porquê: ela é a reencarnação do seu amor há muito desaparecido e eles são almas gémeas. há no entanto uma maldição que os impede de ficar juntos, que acaba por ser quebrada. Sunshine descobre, para felicidade de ambos, que ela também é imortal e como tal, não precisam de se separar nunca mais. Outras histórias entre-cruzam-se, que são bem resumidas por Acheron (pág. 215):  
"Tinha uma deusa assanhada e irritada com quem lidar. Um celta desaparecido em combate. Um general romano numa cidade onde 3 homens desejavam esventrá-lo. Um Predador da Noite impossível de controlar, que a Polícia queria prender por homicídio. E, agora, uma matilha Katagari que estava a deitar cá para fora 3 ninhadas de cachorrinhos mesmo no meio dos seus inimigos."  
A revelação sobre o que Acheron é, e o quanto é poderoso, é muito interessante e um dos pontos altos do livro.   

Crítica: É notória a evolução de escrita de Sherrilyn Kenyon neste "Abraço da Noite". A trama passa de se focar apenas no par romântico principal para alternar entre outros Predadores da Noite, deuses e lobisomens. E todos se entre-cruzam de uma forma louca, levando a um crescendo de emoções e confrontos, impossíveis de controlar. Este volume também apresenta mais informação sobre Acheron e o seu relacionamento com a Deusa Artémis. Se bem que a quantidade de novos personagens e novos conflitos parece exagerada para introduzir num só livro, a forma como a escritora os utiliza é bem ponderada, deixando-nos com a pulga atrás da orelha se veremos aquele personagem num volume futuro da saga. Com uma intrincada e original mitologia, cenas íntimas bem audazes, heróis "bad boy" lindos de morrer, e cenas de luta q.b., Sherrilyn Kenyon oferece-nos mais um livro divertido e emocionante, sem preconceitos, ideal para um público feminino que deseja algo mais que o típico romance light.

Expectativa e estado de espírito: Como já sei o que esperar desta saga da Sherrilyn Kenyon, abrir um dos seus livros é sempre um prazer. O facto de não desenvolver grandes questões filosóficas e morais permite uma leitura sem preocupações, ideal para o escape.  

Pontos positivos: Menos foco no casal principal, mais sobre Acheron e outros Predadores da Noite. Sentido de humor.  

Pontos Negativos: Cenas de luta pouco ou nada desenvolvidas, com fraca descrição. Algumas "soluções" são um pouco à pressa.
Fez-me reflectir sobre: Imortalidade, reencarnação, o poder de controlar outros.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:27

A Festa de Mrs Dalloway

por Telma Teixeira, em 01.06.10
Resumo: Um conjunto de 7 contos que Virgínia Woolf escreveu para ilustrar e compreender e servir de apoio ao universo que constitui a festa da Mrs. Dalloway.
 
Crítica: Este foi o meu primeiro contacto com a escrita de Virginia Woolf e adorei. Tinha receio que ela tivesse uma escrita muito rebuscada ou difícil mas a poesia da sua escrita é maravilhosa. Senti que o seu raciocínio vinha por ondas, começava numa ideia, que puxava para outra e que nos levava a outra ideia, nunca se repetindo e dando continuidade à narrativa. E a quantidade de sentimentos que ela despeja em cada frase, cada paragrafo é delicioso. Sei agora que não vou recear ler um dos romances desta autora.

Pontos positivos: A escrita.
 
Pontos negativos: Nenhum.

Fez-me reflectir sobre: Os medos em confiar no outro, a dificuldade dos relacionamentos, a barreira que existe entre a realidade e o sentimento.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:14


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2005
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D