Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Telmixa

Mix de leituras, organização, tv, filmes, tecnologia e de mim, claro!

Telmixa

Mix de leituras, organização, tv, filmes, tecnologia e de mim, claro!

Como inserir vídeos do facebook no blog

Hoje andei a tentar descobrir como é que posso colocar um vídeo que só está disponível no facebook e partilhá-lo no blog. Eis o que descobri:


 


1º - Todos os vídeos no facebook têm um número que os identifica. Esse número é importante!



 


2º - Copiar o código abaixo indicado (código embed) e substituir as cruzes pelo número do vídeo que se quer partilhar:


 


<object width="400" height="224" >
<param name="allowfullscreen" value="true" />
<param name="allowscriptaccess" value="always" />
<param name="movie" value="http://www.facebook.com/v/xxx" />
<embed src="http://www.facebook.com/v/xxx" type="application/x-shockwave-flash"
allowscriptaccess="always" allowfullscreen="true" width="400" height="224">
</embed>
</object>

 


3º - Se for os blogs do Sapo, é carregar no botão inserir vídeo e escolher a opção Código Embed.


 


E voilá!


 

Fonte

Spartacus - Blood and Sand


 


Esta semana terminou uma das séries que mais me surpreendeu nos últimos tempos: Spartacus -Blood and Sand.


Comecei a vê-la um pouco para colmatar a minha falta de "gore", enquanto não começava o "True Blood" e porque "Lost" está muito aquém da excitação esperada.


O que me convenceu a começar a ver a série foram 2 coisas:


 


Este trailer:










 


E o facto do canal que a produz ter decidido avançar para uma 2ª temporada ainda antes da 1ª ter ido para o ar.


Numa altura em que séries com uma boa fanbase estão sempre na dúvida de são ou não renovadas, esta opção despertou a curiosidade de muitos, assim como a minha.


Tenho que ser sincera: eu detestei o filme "300" porque achei que aquilo era testosterona a mais para mim mas sou uma grande fã do filme "O Gladiador". A comparação com ambos os filmes foi feita por muitos após a emissão dos primeiros 2 episódios e Spartacus foi por estes rapidamente descartada como uma série de maus efeitos especiais, fraca e pobre. Sorte daqueles, que como eu, a continuaram a vê-la não olhando a esses "detalhes".


Spartacus revelou-se um pacote completo de entertenimento: tem sangue, muito sangue, cortes mortais e cabeças rolando, tripas saíndo de ventres esfaqueados e até um belo rapaz é capado. Tem muita nudez e muito sexo. Tem cenas à macho cheias de testosterona. E por detrás de tudo isso, tem um argumento bem elaborado de intrigas, utilização de pessoas para ambições politicas, em que todas as personagens se movimentam como peças de xadrez até atingir um dos finais mais fenomenais que vi numa série nos últimos anos.


E é esta a finalidade deste post: falar não só de Spartacus mas do seu final que, ao contrário do que a maioria das séries tem feito ultimamente, entregou aos fãs aquilo que eles desejavam ver.


Sem entrar em pormenores do final propriamente dito (tem que ser visto!), esta série deu aos espectadores um "final feliz". Nos últimos tempos, todas as séries, de uma forma ou outra, terminam as suas temporadas em clifhangers, ou de uma forma vaga em que não sabemos realmente o destino das personagens, ou finais OMG em que o vilão ganha deixando o herói um pouco perdido. A ideia é simples: assim prendem a atenção do espectador e com sorte conseguem renovar para uma 2ª temporada. Apesar de prender, nem sempre esse final é satisfatório para o espectador que tem que aguardar entre 9 a 12 meses para saber o que irá acontecer a seguir. Spartacus - Blood and Sand termina. Mesmo. Deu aos espectador aquilo que ele desejava que acontecesse. E o meu desejo de ver a próxima temporada é igual ou ainda maior.


Por isso, se ao fim de 5 episódios ainda não estiverem convencidos sugiro que continuem a ver. Vale mesmo a pena!


 


Mais algumas ideias finais sobre a primeira temporada:


 



O carisma, a beleza e a excelente interpretação de Andy Whitfield, que infelizmente lhe foi diagnosticado um cancro Non-Hodgkin e por isso mesmo a 2ª temporada de filmagens está em stand-by até à sua recuperação.


 



Lucy Lawless, mais conhecida como Xena, a princesa Guerreira. Tiro o meu chapéu a esta senhora: Além da excelente forma física interpretou Lucretia Batiatus com uma perfeição arrepiante. Adorei-a a cada segundo que esteve no ecrã.


 


Há também uma história romântica, apesar de que não foi o que realmente me cativou mas é o que move o personagem principal através da série:










 


Para quem, como eu, procura um pouco de bom entertenimento ao fim do dia que não obrigue muito a pensar, Spartacus encaixa muito bem. Que venha a próxima temporada. We kill them all!

Strictly Ballroom











É um dos meus filmes favoritos de sempre.


Pouco conhecido, australiano, com baixo orçamento e actores desconhecidos. No entanto, a história da Gata Borralheira que se transforma em Cinderela é aqui condimentada com uma banda sonora que todos conhecemos, dando o mote aos rígidos passos de dança de salão.


Tem um dos melhores finais de sempre.


O seu realizador  é o conhecido Baz Luhrmann e este filme é o antecessor de "Romeo + Juliet" com o Leonardo DiCaprio, e de "Moulin Rouge".


 











O Prazer da Noite

Resumo: Amanda Deveraux acredita seriamente que foi adoptada. É contabilista e a única da sua família que não está ligada ao esóterico ou paranormal. Até a sua irmã gémea tem como hobby caçar vampiros. Numa noite em que decide fazer um favor à irmã, cai numa emboscada e acaba por acordar algemada a Kyrian que é, nada mais nada menos, que um vampiro. Mas o desejo de o abandonar vai diminuindo a cada hora que passa com ele e apesar do perigo que é apaixonar-se por um Predador da Noite, resistir-lhe é ainda mais doloroso. Após muitas peripécias e perigo de morte, Kyrian recupera a sua alma com a ajuda da Amanda e esta descobre que, afina, ela própria não é assim tão normal.

Crítica: Sherrilyn Kenyon segue neste livro a mesma fórmula que utilizou no "Amante de Sonho". Um herói trágico, com milhares de anos, preso a uma "maldição", que encontra a sua salvação através de o amor de uma mulher. Mas esta autora vai um pouco mais além do que um simples romance com componentes paranormais. Este "Prazer da Noite" dá início a uma saga, dos "Predadores da Noite", que assenta numa mitologia própria, elaborada e bastante incomum. Sim, Kyrian é um vampiro, mas porque os Predadores da Noite ao tornarem-se num entregam a sua alma a Artémis, a deusa da lua. Logo, apanhar Sol está fora de questão. Outras características também são explicadas tendo como base a mitologia grega. Foi também bom ver que ela interligou a história com os anteriores protagonistas, Julian e Grace, do "Amante de Sonho"; assim como introduz um conjunto de novos personagens que serão protagonistas nos livros seguintes da saga.

Expectativa e estado de espírito: Eu esperava o que encontrei: uma história leve e divertida, mas com momentos de grande tensão que nos impede de pousar o livro, mesmo quando o sono o exige. Este, tal como o anterior, é um livro com momentos cheios de passagens sensuais bastante explícitas, o que o torna uma excelente escolha para livro de cabeceira.

Pontos positivos: Divertido, com imensas referências à cultura pop actual. Uma excelente e elaborada mitologia. Personagens muito atraentes.

Pontos negativos: Algumas cenas descritas "à pressa" em que, quando me apercebia, já a cena tinha terminado, principalmente as de luta. Fraca explicação sobre as características dos vilões ou das suas intenções. Pobre na criação de momentos de tensão.

Fez-me reflectir sobre: Nada! Um dos melhores livros para "escapar" possíveis.